Nelson de Mello

Entrevista

Nelson de Mello

Entrevista realizada no contexto da pesquisa "Trajetória e desempenho das elites políticas brasileiras", parte integrante do projeto institucional do Programa de História Oral do CPDOC, em vigência desde a sua criação em 1975. Trechos da entrevista foram publicados no livro GETÚLIO: uma história oral. / Valentina da Rocha Lima (Coordenação) ; Dora Rocha...[et al]. Rio de Janeiro: Record, 1986. 321. il. A escolha do entrevistado se justificou por sua trajetória política.
Forma de Consulta:
Entrevista datilografada disponível na Sala de Consulta do CPDOC.
Entrevista publicada em livro.
Referência completa: BOMENY, Helena; MOTTA Marly (Orgs.). A ESCOLA que faz Escola: EBAP 50 anos, depoimentos ao CPDOC. Rio de Janeiro: Ed. Fundação Getulio Vargas, 2002. 492p. il.

Tipo de entrevista: Temática
Entrevistador(es):
Ignez Cordeiro de Farias
Aspásia Alcântara de Camargo
Dulce Chaves Pandolfi
Paulo César Farah
Reinaldo Roels Júnior
Data: 8/6/1978 a 25/5/1979
Local(ais):
Rio de Janeiro ; RJ ; Brasil

Duração: 16h15min

Dados biográficos do(s) entrevistado(s)

Nome completo: Nelson de Mello
Nascimento: 20/8/1899; Santana do Livramento; RS; Brasil;

Falecimento: 3/1/1989; Rio de Janeiro; RJ; Brasil;

Formação: Escola Militar do Realengo; Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais; Escola de Estado-Maior do Exército; Escola Superior de Guerra.
Atividade: Militar; Revolta de 1924; Revolução de 1930; interventor AM (1933-35); chefe de polícia DF (1943-44); comandante de destacamento na Segunda Guerra Mundial (1944-45); chefe do gabinete militar da Presidência da República (1956-61); comandante do II exército (1961-62); Ministro da Guerra (1962); Golpe de 1964.

Equipe

Levantamento de dados: Ignez Cordeiro de Farias;Paulo César Farah;
Pesquisa e elaboração do roteiro: Ignez Cordeiro de Farias;Paulo César Farah;

Conferência da transcrição: Ignez Cordeiro de Farias;

Copidesque: Paulo César Farah;Emanuel Araújo;

Técnico Gravação: Clodomir Oliveira Gomes;

Sumário: Ignez Cordeiro de Farias;

Temas

Carlos Lacerda;
Comissão Mista Brasil - EUA (1951-1953);
Comunismo;
Crise de 1954;
Crise de 1961;
Ernesto Geisel;
Escola Superior de Guerra;
Estado Novo (1937-1945);
Exército;
Força Expedicionária Brasileira (1943-1945);
Getúlio Vargas;
Golpe de 1937;
Golpe de 1964;
Governo João Goulart (1961-1964);
Governo Juscelino Kubitschek (1956-1961);
Governos militares (1964-1985);
Humberto de Alencar Castelo Branco;
Instituto Superior de Estudos Brasileiros;
Integralismo;
Interventorias;
Jânio Quadros;
João Pessoa;
Juarez Távora;
Juscelino Kubitschek;
Lima Cavalcanti;
Luís Carlos Prestes;
Militares;
Nelson de Mello;
Política estadual;
Racismo;
Revolta comunista (1935);
Revolta de 1922, RJ;
Revolta de 1924, SP;
Revolução Constitucionalista (1932);
Revolução de 1930;
Roberto Campos;
Segunda Guerra Mundial (1939-1945);
Tenentismo;

Sumário

1a Entrevista: origem familiar; os combates de 1893 e 1895 no Rio Grande; o Exército e o voluntariado; as prisões no Exército; a escolha da carreira militar no Brasil, maçonaria, positivismo e Exército; formação religiosa; carreira militar; o Exército e o Rio Grande do Sul; o Colégio Militar de Porto Alegre; americanos, esquerdistas e comunistas; o regime político após 1964; Geisel; Juscelino; a Revolução de 30; Jânio Quadros; discriminação racial; formação escolar; a política na Escola Militar; as "cartas falsas"; os presidentes até 1930; transformações ocorridas no Exército; viagem do rei Alberto ao Brasil; Pandiá Calógeras; Castelo Branco; levante do forte de Copacabana; o processo eleitoral; Carlos Lacerda e Juscelino Kubitschek; os militares e a política; transformações ocorridas no país sob o governo de Juscelino; Juarez Távora........................................................................................................1 a 64

2a Entrevista: início da vida profissional; o levante de 1922; as "cartas falsas"; a Reação Republicana; o tenentismo; o governo Kubitschek; conspirando em 1924; o levante de 1924 em São Paulo; autonomia dos estados; revolução gaúcha de 1923 e o Tratado de Pedras Altas; a retirada de São Paulo em 1924; organização da Coluna Paulista; a Coluna Paulista no Paraná; Catanduvas; a chegada da Coluna Prestes no Paraná; no comando do II Exército; o levante de 1924 e a Revolução Paulista de 1932; os ideais revolucionários e a Justiça eleitoral; reformas políticas; as sucessões presidenciais; a Revolução de 1924; o liberalismo e a questão social; contatos com os revolucionários; conspirando para o levante de 1930; a Revolução de 1930; os líderes de 1930; a Revolução em Minas; os tenentes e Bernardes; Prestes e a Revolução de 30; João Pessoa e os tenentes; oposição e opinião pública; o soldo dos militares; vida profissional depois de reformado; a influência americana no mundo......64 a 145

3a Entrevista: trabalhando com João Alberto em São Paulo após a Revolução de 1930; secretário de Segurança Pública em Pernambuco durante o governo Lima Cavalcanti; estrutura social de Pernambuco; transformações ocorridas em Pernambuco durante o governo Lima Cavalcanti; a Justiça eleitoral após 1930; as revoltas de 1931 em Pernambuco; Cristiano Cordeiro; a ligação entre a classe política e o povo; sindicalização e greves no Brasil; a atuação do Estado na economia; a influência do tenentismo na política, após a Revolução de 1930; disparidades econômicas e políticas entre o Norte e o Sul; o Estado Novo; as eleições de 1933 e os novos partidos políticos; Magalhães Pinto e Euler Bentes Monteiro; a candidatura José Américo; a deposição de Flores da Cunha; desentendimentos entre José Américo e Lima Cavalcanti; no governo do Amazonas; Juraci Magalhães e a política baiana; Magalhães Barata; o estilo político de Getulio Vargas; a assistência social no Brasil; a Intentona Comunista de 1935; a força da hierarquia militar..................................................................................145 a 201

4a Entrevista: a revolta de São Paulo contra o Governo Provisório em 1932; João Alberto no governo de São Paulo; a escolha e a indicação de João Batista de Figueiredo para presidente da República; Exército e política; Ernesto Geisel; transformações ocorridas no Brasil após a Revolução de 1964; a entrada de capital estrangeiro no país; integralistas e comunistas; a solidariedade criada pelas revoluções; João Alberto, o comunismo e os cafeicultores paulistas; o estilo político de Getulio Vargas; o poder dos estados antes do golpe de 1937; a deposição de Flores da Cunha; a escolha do general Dutra para o Ministério da Guerra; Góis Monteiro; benefícios da Revolução de 1930 para o Exército; restabelecimento da hierarquia militar em 1932; Getulio e os tenentes; o empastelamento do "Diário Carioca" em 1931............ 201 a 238

5a Entrevista: atividade profissional de 1937 a 940; a Exército e a Segunda Guerra Mundial; a tática política de Getulio quanto à participação na guerra; a Liga de Defesa Nacional; comunistas e integralistas na campanha pró-aliados; o integralismo e as Forças Armadas; o Exército brasileiro e o Exército americano; a bomba atômica e a manutenção da paz no mundo; preparativos das tropas brasileiras; a democracia no Brasil; comandando o Batalhão de Guardas em 1941; chefe de polícia em 1943-44; o engajamento na FEB; brasileiros e americanos no teatro de operações na Itália; Vernon Walters; a FEB na Itália; Castelo Branco; a tomada de Catelnuovo e de Monte Castelo; a rendição alemã; Getulio Vargas e o Estado Novo; a popularidade de Vargas; o preconceito racial...........238 a281

6a Entrevista: a posição de Getulio em relação à entrada do Brasil na guerra; o estilo político do Vargas; o golpe de 1937; a política social iniciada por Vargas; críticas ao governo Vargas; a posição dos militares em relação a Getulio; candidaturas Dutra e Eduardo Gomes; UDN e PSD; democracia, comunismo e integralismo; a queda de Vargas; a candidatura de Iedo Fiúza e o comunismo no Brasil; o apoio de Getulio a Dutra; o governo Dutra; as eleições no Clube Militar e a campanha contra o getulismo; o nacionalismo e a campanha do petróleo; Juarez Távora; Estillac na presidência do Clube Militar; a Cruzada Democrática e as eleições no Clube Militar; a possível participação do Brasil na Guerra da Coréia; as eleições presidenciais de 1950; a "cristianização"; o segundo governo de Getulio; Estillac Leal como ministro da Guerra; a Escola Superior de Guerra; a Cruzada Democrática, Carlos Lacerda e a UDN; a campanha contra Getulio a partir de 1952; a Revolução de 1964 e a UDN; o final do governo Vargas; o Manifesto dos Coronéis e a substituição do ministro da Guerra; as Forças Armadas e a classe dominante contra Getulio; a substituição de Nero Moura no Ministério da Aeronáutica; o suicídio de Vargas; Jango e Jânio; conseqüências da industrialização de São Paulo..................281 a 334

7a Entrevista: a volta de Vargas em 1950; a situação dos antigetulistas após o suicídio de Vargas; os últimos dias de Getulio; o governo Café Filho; a eleição de Jânio e Jango; as eleições de1954; o 11 de novembro de 1955; Henrique Lott; o Exército e Juscelino; as classes armadas durante o governo Juscelino; a atuação do entrevistado durante a crise de novembro de 1955; a mudança da capital; o governo JK; Jacareacanga e Aragarças; o porta-aviões; Roberto Campos no governo Juscelino; a entradas de capital estrangeiro no país; o ISEB; Petrobrás; chefe da Casa Militar no governo Juscelino; Juscelino e sua sucessão; a Comissão Mista Brasil-Estados Unidos; o atentado sofrido em São Paulo; a renúncia de Jânio; a posse de Jango e o parlamentarismo; o ministro da Guerra e sua demissão; a governo Goulart; a Revolução de 1964.................................................................................................334 a 384
Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados