Paulus Aulus Pompéia

Entrevista

Paulus Aulus Pompéia

Entrevista realizada no contexto do projeto "História da ciência no Brasil", desenvolvido entre 1975 e 1978 e coordenado por Simon Schwartzman. O projeto resultou em 77 entrevistas com cientistas brasileiros de várias gerações, sobre sua vida profissional, a natureza da atividade científica, o ambiente científico e cultural no país e a importância e as dificuldades do trabalho científico no Brasil e no mundo. Informações sobre as entrevistas foram publicadas no catálogo "História da ciência no Brasil: acervo de depoimentos / CPDOC." Apresentação de Simon Schwartzman (Rio de Janeiro, Finep, 1984). A escolha do entrevistado se justificou, entre outros, por suas atividades desenvolvidas na Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP), no Departamento de Física e Química do Instituto Tecnológico da Aeronáutica (ITA), e na Superintendência do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) de São Paulo.
Forma de Consulta:
Entrevista datilografada disponível na Sala de Consulta do CPDOC.

Tipo de entrevista: Temática
Entrevistador(es):
Ricardo Guedes Pinto
Simon Schwartzman
Data: 27/1/1977 a 28/1/1977
Local(ais):
São Paulo ; SP ; Brasil

Duração: 6h35min

Dados biográficos do(s) entrevistado(s)

Nome completo: Paulus Aulus Pompéia
Nascimento: 19/10/1911; Sorocaba; SP; Brasil;

Formação: Engenharia Elétrica pela Escola Politécnica da USP (1935); Física pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da USP (1939); doutor em Ciências pela USP (1949).
Atividade: Foi assistente de Fonseca Teles no Instituto de Eletrotécnica (1936-1939); foi assistente da cadeira de física geral e experimental da Faculdade de Filosofia (1939-1947); estudou na Universidade de Chicago, nos EUA a convite de Arthur Compton (1940); participou das preparações da expedição Compton, organizada para medir as radiações cósmicas em São Paulo (1941); organizou a seção de microscopia eletrônica da Escola Politécnica da USP (1947); foi professor pleno e diretor do departamento de física e química do Instituto Tecnológico da Aeronáutica, São José dos Campos (1950-1963); aposentou do ITA (1966), recebendo o título de professor emérito; foi professor da cadeira de física geral e aplicada da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP (1966-1970); assumiu o cargo de assessor cultural e científico da superintendência do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) de São Paulo (1970).

Equipe

Levantamento de dados: Patrícia Campos de Sousa;
Técnico Gravação: Clodomir Oliveira Gomes;

Temas

Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social;
Bolsas de estudo e de pesquisa;
Bomba atômica;
Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq);
Desenvolvimento científico e tecnológico;
Engenharia;
Ensino superior;
Escola Politécnica;
Exército;
Expedições científicas;
Financiadora de Estudos e Projetos;
Física;
Formação profissional;
Fundação Rockefeller;
História da ciência;
Instituições acadêmicas;
Instituto Tecnológico da Aeronáutica;
Marinha;
Matemática;
Metodologia de pesquisa;
Paulus Aulus Pompéia;
Pensamento político;
Política científica e tecnológica;
Positivismo;
Professores estrangeiros;
Revolução Constitucionalista (1932);
São Paulo;
Segunda Guerra Mundial (1939-1945);

Sumário

Sumário da 1ª entrevista:
Origem familiar; a habilidade manual; o curso de engenharia elétrica da Escola Politécnica de São Paulo: a formação teórica, o ensino de física e matemática, as aulas de Teodoro Ramos; a influência positivista na ciência brasileira; a participação na Revolução Constitucional de 32; a influência de Luís Freire na formação de Mário Schenberg; o início da vida profissional na Caixa Econômica Federal; o ingresso na Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da USP; os professores italianos contratados pela USP; a volta de Gleb Wataghin à Itália em 1949; a demissão do Instituto de Eletrotécnica da Escola Politécnica para auxiliar Wataghin em suas pesquisas sobre os raios cósmicos; a formação do engenheiro na Escola Politécnica da USP antes e depois da criação da Faculdade de Filosofia; a seleção dos professores estrangeiros contratados pela nova faculdade: a missão de Teodoro Ramos; a visita de Enrico Fermi ao Brasil; os novos métodos de ensino introduzidos por Luigi Fantappié e Wataghin na USP; os limites da escola de química de Rheinboldt e Hauptmann; o recrutamento de Wataghin pela USP; o incentivo de Wataghin ao treinamento dos discípulos no exterior; o estágio na Universidade de Chicago: o aperfeiçoamento do circuito elétrico de Reich, a bolsa do governo de São Paulo; a participação na Expedição Compton; o prestígio internacional de Wataghin; a produção da primeira bomba atômica; a volta ao país em 1942; o envolvimento no esforço de guerra brasileiro: a construção de um aparelho para medir a velocidade inicial de projéteis.

Sumário da 2ª entrevista:
A mentalidade do físico teórico e a do físico experimental; a descoberta dos isótopos; a defesa da tese de doutoramento na USP; o apoio ao princípio da indeterminação de Heisenberg; a formação teórica de nossos engenheiros; a rescisão do contrato com o Exército; a construção de equipamentos de localização e detecção de submarinos para a Marinha de Guerra, sob a direção de Marcelo Damy: a colaboração do Instituto de Eletrotécnica e do Instituto de Pesquisas Tecnológicas de São Paulo, o financiamento dos Fundos Universitários de Pesquisa, a produção em série pela indústria paulista; o conseqüente desenvolvimento da indústria eletroacústica nacional; o auxílio da Fundação Rockefeller e do governo de São Paulo ao Departamento de Física da USP após a guerra; o afastamento do Departamento de Física para organizar a Seção de Microscopia Eletrônica da Escola Politécnica; o convite de Ernesto de Oliveira Jr. para integrar o corpo docente do Instituto Tecnológico da Aeronáutica (ITA); a orientação do ITA: a instituição da carreira docente e do regime de tempo integral para alunos e professores, o modelo das escolas norte-americanas; a organização e instalação dos laboratórios de física e química do Instituto; o recrutamento de Luís Valente Boff, Mário Alves Guimarães, Walter Baltensberger e Sérgio Porto; o reconhecimento dos cursos do ITA pelo Ministério da Aeronáutica; o curso de formação de professores ministrado por Joseph Stokes; o papel do ITA: sua influência nas demais escolas de engenharia; a participação de civis e militares; o curso especial para oficiais; os desentendimentos com o diretor geral, brigadeiro Castro Neves, e a demissão do Instituto em 1966.

Sumário da 3ª entrevista:
O Centro Tecnológico Aeroespacial; a aposentadoria do ITA em 1966 e a contratação pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP; o convite para assessorar Alberto Pereira de Castro no Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) de São Paulo; a criação do IPT; as linhas de trabalho desse instituto: a participação no esforço de guerra, as relações com a indústria; a vinculação inicial do IPT à Escola Politécnica e sua transformação em sociedade anônima em 1976; Álvaro Alberto e a criação do CNPq; o auxílio desse órgão ao programa de aperfeiçoamento de pessoal do ITA; o estremecimento das relações entre o CNPq e o CBPF em 1954; a nomeação para integrar o conselho deliberativo do CNPq; os estudos sobre a carreira de pesquisador e o regime de tempo integral nas universidades; o Instituto de Pesquisas Tecnológicas: as relações mantidas com a Marinha, a equipe de pesquisadores, o programa de aperfeiçoamento dos técnicos no exterior, as linhas de pesquisa, a transferência de know-how para a indústria; a dependência tecnológica nacional; o encontro entre institutos de pesquisa e de apoio à tecnologia nacional organizado pelo CNPq em 1971; a pós-graduação nas universidades norteamericanas; o doutoramento na USP; a massificação do ensino pós-graduado no Brasil: o auxílio do Funtec/BNDE e da Finep; a importância do contato pessoal entre alunos e professores; a pós-graduação na universidade e nos institutos isolados; as relações entre a Escola Politécnica e a Faculdade de Filosofia da USP; a formação do engenheiro no ITA; Ernesto de Oliveira Jr. e a Comissão Supervisora dos Institutos (COSUPI); a instituição da carreira de pesquisador no estado de São Paulo; pesquisa básica e pesquisa tecnológica aplicada; o financiamento à ciência no país; o acompanhamento dos resultados das pesquisas pelas agências financiadoras; os acionistas e os membros do conselho administrativo do IPT; a atuação da FAPESP e do CNPq; o boletim do IPT; a publicação de trabalhos de pesquisadores do Instituto em revistas especializadas do país e do exterior; o livro-texto de Wataghin; a importância do conhecimento da língua inglesa; a formação do físico e do professor de nível médio; os discípulos de Wataghin; o abandono da pesquisa pelo magistério.
Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados