Pedro Cavalcante Filho

Entrevista

Pedro Cavalcante Filho

Entrevista realizada no contexto do projeto "História do Movimento Negro no Brasil", desenvolvido pelo CPDOC em convênio com o South-South Exchange Programme for Research on the History of Development (Sephis), sediado na Holanda, a partir de setembro de 2003. A pesquisa tem como objetivo a constituição de um acervo de entrevistas com os principais líderes do movimento negro brasileiro. Em 2004 passou a integrar o projeto "Direitos e cidadania", apoiado pelo Programa de Apoio a Núcleos de Excelência (Pronex) do Ministério da Ciência e Tecnologia. As entrevistas subsidiaram a elaboração do livro "Histórias do movimento negro no Brasil - depoimentos ao CPDOC." Verena Alberti e Amilcar Araujo Pereira (orgs.). Rio de Janeiro: Pallas; CPDOC-FGV, 2007. A escolha do entrevistado se justificou por sua militância no movimento negro em Pernambuco desde a década de 1970, onde fundou o Movimento Negro Unificado (MNU).
Forma de Consulta:
Entrevista em áudio disponível na Sala de Consulta do CPDOC.
Entrevista em vídeo disponível na Sala de Consulta do CPDOC.
Entrevista publicada em livro.
Referência completa: Histórias do movimento negro no Brasil - depoimentos ao CPDOC. Verena Alberti e Amilcar Araujo Pereira (orgs.). Rio de Janeiro: Pallas; CPDOC-FGV, 2007.

Tipo de entrevista: Temática
Entrevistador(es):
Verena Alberti
Amilcar Araujo Pereira
Data: 1/7/2005
Local(ais):
Brasília ; DF ; Brasil

Duração: 1h40min

Dados biográficos do(s) entrevistado(s)

Nome completo: Pedro Cavalcante Filho
Nascimento: 27/4/1948; Viçosa; AL; Brasil;

Formação: Formado em Arquitetura pela Universidade Federal de Pernambuco.
Atividade: Militante do movimento negro em Pernambuco desde a Década de 1970, foi Fundador do Movimento Negro Unificado (MNU) em Pernambuco.

Equipe

Levantamento de dados: Amilcar Araujo Pereira;
Pesquisa e elaboração do roteiro: Verena Alberti;Amilcar Araujo Pereira;

Transcrição:  ;

Técnico Gravação: Clodomir Oliveira Gomes; Marco Dreer Buarque;

Sumário: Fernanda Corrêa da Silva;

Temas

Movimento negro;

Sumário

1° Entrevista: 01/07/2005

Fita 1-A: origens familiares; detalhes sobre a história dos pais; recordações sobre os tempos de escola; relação do entrevistado com seus professores da escola; primeiro emprego como operador de som da rádio local; ida para Recife; emprego nos Diários Associados, da Tupi; participação do entrevistado no vestibular para arquitetura.

Fita 1-B: ingresso na faculdade de arquitetura (1971 a 1976); emprego na Paraíba, para trabalhar em uma empresa da administração indireta do município de Campina Grande; nascimento da primeira filha, em 1978; participação em um projeto urbanístico para a cidade de Campina Grande; retorno do entrevistado para Recife; ingresso na Empresa de Urbanização do Recife; recordações sobre as discriminações vividas ao longo de sua trajetória; recuperação da idéia do movimento negro no final da década de 1970; características sobre a trajetória do entrevistado no Movimento Negro Unificado (MNU); fundação do MNU em Pernambuco em 1979; reflexões sobre democracia racial; descrição de fatos ocorridos na família para justificar a consciência da negritude do entrevistado.

Fita 2-A: o contato com membros do MNU de outros estados; a importância do contato com Inaldete Pinheiro sobre o estabelecimento do MNU em Pernambuco; processo de criação do MNU em Pernambuco - questão do 13 de Maio e 20 de Novembro; divergências de opiniões dentro do próprio MNU; críticas à questão da luta armada; interesse do entrevistado na questão sindical e trabalho na área como sindicalista de arquitetura; participação no Partido dos Trabalhadores (PT); criação de uma secretaria de combate ao racismo institucional no Recife; o afastamento do entrevistado do MNU concomitante a uma maior participação no PT e no sindicato; opinião sobre a relação dos partidos de esquerda com a questão racial; comentários sobre Inaldete Pinheiro, membro do MNU; detalhes sobre o próprio papel no MNU; radicação do entrevistado em Recife, desde os 21 anos de idade; atual emprego na Secretaria de Planejamento, como assessor do secretário de Planejamento do município; atual participação no planejamento de uma Secretaria de Direitos Humanos, trabalhando a igualdade racial; opinião sobre o sistema de cotas; participação do entrevistado em um trabalho de planejamento e reurbanização em áreas de favelas, lidando principalmente com a questão da regularização fundiária, através da Empresa de Urbanização da Cidade do Recife (Urb Recife); trabalho na favela Brasília teimosa; reflexões sobre questões raciais e de educação; detalhes sobre os três filhos e as suas carreiras; comentários sobre quem participou da III Conferência Mundial de Combate ao Racismo, Discriminação Racial, Xenofobia e Intolerância Correlata, realizada em Durban, África do Sul, em 2001 e o seu papel no acompanhamento do processo; participação na campanha do candidato a governador de Pernambuco em 2002, Humberto Costa, com foco na questão racial; participação no encontro das secretarias de combate ao racismo do Norte e Nordeste, com o Martvs das Chagas, Secretário Nacional de Combate ao Racismo do PT, em Recife, na Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj); discussão do Programa Institucional de Combate ao Racismo, vinculado ao Department for International Development (DFID) e ao Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

Fita 2-B: participação em seminários até agosto de 2004; convênio definitivo da Prefeitura com a PNUD - DFID; o entrevistado como representante da Prefeitura no Fórum, durante a implementação da Lei 10.639, em que a Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir) encaminha a montagem do Fórum Intergovernamental; participação em projetos com foco na questão da educação; planos para trabalhar o a questão do quesito raça/cor nas áreas da saúde, da educação, da cultura, etc.; comentários sobre a relação da sociedade civil e do município; citação de ONGs como: MST, SOS, Nós outras mulheres, Associação das Mulheres da Zona Rural, Associação das Mulheres do Cabo; definição e objetivo do conceito de racismo institucional - base do Programa de Combate ao Racismo Institucional (PCRI) - pelo DFID.
Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados