Petrônio Corrêa

Entrevista

Petrônio Corrêa

Entrevista realizada no contexto do projeto "A propaganda brasileira: trajetórias e experiências dos publicitários e das instituições de propaganda", desenvolvido pelo CPDOC por iniciativa da ABP - Associação Brasileira de Propaganda e com apoio da Souza Cruz S.A., entre março de 2004 e fevereiro de 2005. Um dos objetivos do projeto foi dar início à constituição de um acervo de entrevistas sobre a história da propaganda brasileira, ouvindo publicitários que tiveram atuação destacada a partir da segunda metade do século XX. Notas das entrevistas elaboradas por Anna Carolina Meirelles da Costa, Ilana Strozenberg, Luciana Quillet Heymann, Luisa Lamarão, Maurício Xavier, Regina Santiago e Verena Alberti. A escolha do entrevistado se justificou por sua atuação como presidente da Federação das Associações de Propaganda (FEBRASP) entre 1964 e 1965 e da Associação Brasileira das Agências Publicitárias (ABAP) entre 1979 e 1982, quando atuou como representante da entidade junto ao grupo de trabalho interministerial criado para discutir a regulamentação da propaganda, em 1979.
Forma de Consulta:
Entrevista em texto disponível para download.

Tipo de entrevista: Temática
Entrevistador(es):
Verena Alberti
Ilana Strozenberg
Data: 25/11/2004
Local(ais):
Rio de Janeiro ; RJ ; Brasil

Duração: 2h20min

Dados biográficos do(s) entrevistado(s)

Nome completo: Petrônio Cunha Corrêa
Nascimento: 29/12/1928; São Sepé; RS; Brasil;

Formação: Segundo grau completo.
Atividade: Dirigiu o escritório da Grant em Porto Alegre; fundou, com Antônio Mafuz e Luiz Goulart Macedo, a agência MPM, em Porto Alegre; presidente da Federação das Aociações de Propaganda - Fbrasp (1964-65) e da Associação Brasileira das Agências Publicitárias - ABAP (1979-82), quando atuou como representante da entidade junto ao grupo de trabalho interministerial criado para discutir a regulamentação da propaganda, em 1979.

Equipe

Levantamento de dados: Regina Santiago;
Pesquisa e elaboração do roteiro: Regina Santiago;

Transcrição: Oswaldo Cordeiro de Farias;

Técnico Gravação: Clodomir Oliveira Gomes;

Sumário: Luisa Quarti Lamarão;

Temas

Associação Brasileira das Agências de Publicidade (ABAP);
Associação Brasileira de Propaganda (ABP);
Comunicação de massa;
Congressos e conferências;
Conselho Nacional de Auto-Regulamentação Publicitária (Conar);
Ética;
Família;
Marketing;
Propaganda;
Publicidade;
Rio Grande do Sul;
Veículos de comunicação;

Sumário

Entrevista: 25.11.2004

FITA 1-A
Origens familiares; formação escolar em Santo Ângelo (RS) e em Porto Alegre; o primeiro emprego na Tipografia do Centro S.A., proprietária do jornal A Nação, em Porto Alegre, na década de 1940; as atividades profissionais e sociais do pai do entrevistado em Santo Ângelo; o ingresso na atividade da propaganda, fiscalizando publicidade em outdoors e em rádios.

FITA 1-B
A montagem da filial da agência Grant Advertising no Rio Grande do Sul (1951-52), coordenada por Luís Carlos da Nóbrega; descrição da estrutura de uma agência de publicidade nos anos 1950; contatos com profissionais da propaganda e jornalistas no Rio de Janeiro, na década de 1950, nas ocasiões em que trabalhava na matriz da Grant; a fundação da MPM, em Porto Alegre, reunindo o entrevistado, Luiz Macedo e Antônio Mafuz (1957); breves comentários sobre a participação do entrevistado no I Congresso Brasileiro de Propaganda, realizado no Rio de Janeiro (1957); informações sobre as áreas de atuação da ABP - Associação Brasileira de Propaganda e da Federação das Associações de Publicidade (Febrasp), da qual o entrevistado foi o primeiro presidente (1964-1965); atuação do entrevistado na aprovação da Lei no 4.680, de 18/6/1965, cujo texto incorpora o Código dos Profissionais da Propaganda, aprovado no I Congresso Brasileiro de Propaganda; razões de criação da Febrasp e sua dissolução após poucos anos de existência; a distribuição de tarefas entre os três sócios da MPM e a atuação de Adão Juvenal de Souza na empresa.

FITA 2-A
A política de aquisição de subsidiárias adotada pela MPM a partir de meados dos anos 1970; o atendimento a diferentes clientes de um mesmo ramo de atividade: o caso da MPM e a prática utilizada nas agências da Ásia; a transferência do entrevistado para São Paulo, para cuidar do escritório paulista da MPM, em 1965; participação do entrevistado no III Congresso Brasileiro de Propaganda, realizado em São Paulo (1978); atuação do entrevistado na regulamentação do Código Brasileiro de Auto-regulamentação Publicitária, no período em que era presidente da Associação Brasileira das Agências de Propaganda (ABAP) (1979-1981); exemplos de atuação da censura proibindo campanhas publicitárias durante o regime militar (1964-1985); o processo de formação do Conselho Nacional de Auto-regulamentação Publicitária (Conar), criado em 1980, do qual o entrevistado foi o primeiro presidente (1981-1989); informações sobre o funcionamento do Conar.

FITA 2-B
Atuação de Gilberto Leifert, presidente do Conar à época da entrevista, na montagem do órgão; diferenças de atribuições do Conar e do Conselho Executivo das Normas-Padrão (Cenp), do qual o entrevistado também foi o primeiro presidente (1999-); o processo de fiscalização das agências de propaganda por parte do Cenp; resistências à criação do Cenp, especialmente por parte de agências multinacionais; o caráter inédito do Conar e do Cenp, no universo da propaganda no mundo; participação do entrevistado na criação do Instituto para Acompanhamento da Publicidade (1997), que presta serviços à Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República.

FITA 3-A
As atribuições do Instituto para Acompanhamento da Publicidade; a importância do trabalho após a aposentadoria e a intensa rotina como presidente do Cenp após venda da MPM, em 1991; informações sobre os filhos e netos.




Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados