Sérgio Ferreira

Entrevista

Sérgio Ferreira

Entrevista realizada no contexto do projeto "A propaganda brasileira: trajetórias e experiências dos publicitários e das instituições de propaganda", desenvolvido pelo CPDOC por iniciativa da ABP - Associação Brasileira de Propaganda e com apoio da Souza Cruz S.A., entre março de 2004 e fevereiro de 2005. Um dos objetivos do projeto foi dar início à constituição de um acervo de entrevistas sobre a história da propaganda brasileira, ouvindo publicitários que tiveram atuação destacada a partir da segunda metade do século XX. Notas das entrevistas elaboradas por Anna Carolina Meirelles da Costa, Ilana Strozenberg, Luciana Quillet Heymann, Luisa Lamarão, Maurício Xavier, Regina Santiago e Verena Alberti. A escolha do entrevistado se justificou, entre outras coisas, pelo cargo de presidente do Conselho Nacional de Propaganda (CNP).
Forma de Consulta:
Entrevista em texto disponível para download.

Tipo de entrevista: Temática
Entrevistador(es):
Verena Alberti
Luciana Quillet Heymann
Data: 2/12/2004
Local(ais):
Rio de Janeiro ; RJ ; Brasil

Duração: 4h0min

Dados biográficos do(s) entrevistado(s)

Nome completo: Sérgio Aurelino Leal Ferreira
Formação: Curso de Aviador na Força Aérea Brasileira.
Atividade: Iniciou a carreira no departamento de Cheking, na mídia e na produção da agência Mccann-Erickson (1949). Organizador do departamento de rádio e televisão da agência Grant Advertisement (1954-55); administrador de contas e campanhas da standard (1955-57); sócio da agência Deninson e diretor do consórcio das agências brasileiras (1966). Foi ainda vice-presidente do capítulo brasileiro da International Advertising Association (IAA) e presidente do Conselho Nacional de Propaganda (CNP), além de assessor de comunicação do Ministro da Ciência e Tecnologia Rafael Archer (1985-1988).

Equipe

Levantamento de dados: Regina Santiago;
Pesquisa e elaboração do roteiro: Regina Santiago;

Transcrição: Oswaldo Cordeiro de Farias;

Técnico Gravação: Clodomir Oliveira Gomes;

Sumário: Luisa Quarti Lamarão;

Temas

Anos 1950;
Associação Brasileira das Agências de Publicidade (ABAP);
Associação Brasileira de Propaganda (ABP);
Campanha eleitoral;
Carlos Lacerda;
Companhias aéreas;
Comunicação de massa;
Congressos e conferências;
Conselho Nacional de Auto-Regulamentação Publicitária (Conar);
Difusão cultural;
Família;
Fusão Rio de Janeiro - Guanabara (1975);
Instituto Brasileiro do Café;
José Sarney;
Marcos Tamoio;
Marketing;
Propaganda;
Publicidade;
Renato Archer;
Rio de Janeiro (cidade);
Roberto Marinho;
Veículos de comunicação;

Sumário

Entrevista: 02.12.2004

FITA 1-A
Origens familiares; trajetória escolar; lembranças da vida em Petrópolis; recordações do primeiro emprego na McCann-Erickson (1949); mudanças no funcionamento das agências a partir do emprego do computador e explicações sobre os processos manuais de produção de anúncios utilizados na época em que entrou na McCann-Erickson; primeiras impressões sobre o trabalho no Departamento de Checking na McCann-Erickson; lembranças da produção do folheto promocional da Esso sobre a Copa de 1950.

FITA 1-B
Continuação do relato sobre a produção do folheto da Copa de 1950; a entrada na empresa Grant Advertising (1954); comentários sobre a conta da Souza Cruz, que pertencia à Grant; a organização, pelo entrevistado, do departamento de RTVC na Grant; recordações sobre a conquista da conta da Vulcan Espuma para a Grant; o aprendizado sobre as regras de qualidade dos anúncios; breves considerações sobre os infartos sofridos pelo entrevistado e a posterior operação; a ida para a Standard (1955); menção a dois grandes clientes da Standard: Varig e DeMillus.

FITA 2-A
Relato das campanhas que o entrevistado organizou para a Varig e para a DeMillus e que conquistaram as contas para a Standard; comentário sobre a atuação do entrevistado como administrador de campanhas e de contas; explicação sobre a especificidade da cultura da propaganda no universo empresarial.

FITA 2-B
Explicações sobre o funcionamento de uma house agency; breve histórico da AS Propaganda, house agency da Ducal; o convite para trabalhar na Denison (1957), agência que passou a atender a Ducal; a luta do entrevistado para a Denison ser aceita no I Congresso de Propaganda (1957) e para criar uma imagem positiva para a agência, desvinculada da imagem de house agency; a concorrência para a campanha do Instituto Brasileiro do Café - IBC e a formação de um consórcio de agências (1965).

FITA 3-A
Informações sobre a formação do consórcio de agências para a campanha do IBC; relato do atendimento que a Denison prestou às campanhas do governo de Carlos Lacerda (1960-1965); explicações sobre a compra da Denison do grupo Ducal pelo entrevistado e outros (1966); lembranças da assessoria que a Denison prestou ao prefeito Marcos Tamoio (1975-1979).

FITA 3-B
Longo comentário sobre a relação do entrevistado com José Sarney e Renato Archer e o caráter da assessoria de comunicação prestada pelo entrevistado a ambos; considerações sobre a fusão do estado da Guanabara (1975); informações sobre a abertura do escritório da Denison em São Paulo e a contratação do publicitário Hélio Silveira da Mota; observações sobre a ampliação da Denison pelo território nacional; explicações sobre o acordo operacional com a agência norte-americana Ted Bates.

FITA 4-A
O estágio na Ted Bates, a aprendizagem do new business e a introdução do conceito no Brasil; breve relato da conquista da conta do Unibanco; a atuação do entrevistado na International Advertising Association; a criação do Conselho Nacional de Propaganda - CNP (1964) e as campanhas feitas pelo Conselho; contextualização da nomeação de Hector Brenner para a direção da Denison em São Paulo (1982); explicações sobre a cisão da Denison (1988).

FITA 4-B
A formação da Denison-Rio e a associação com a Graciotti & Associados; diferenças entre agência de criação e agência de marketing; informações sobre a pesquisa feita pelo entrevistado para o Instituto de Estudos Sociais e Econômicos; comentários sobre o processo de desativação da Denison (1998); breves considerações sobre o filho; elogios à Roberto Marinho.




Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados