Licia do Prado Valladares II

Entrevista

Licia do Prado Valladares II

Entrevista realizada no contexto do projeto “Cientistas sociais de países de Língua Portuguesa: histórias de vida”, com financiamento do Programa de Cooperação em matéria de Ciências Sociais para os países da comunidade de Língua Portuguesa (Programa Ciências Sociais CPLP) do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Para ter acesso à transcrição e ao vídeo da entrevista clique aqui.
Forma de Consulta:
Entrevista em texto disponível para download.
Entrevista em vídeo disponível na Sala de Consulta do CPDOC e trechos no portal.

Tipo de entrevista: Temática
Entrevistador(es):
Helena Maria Bousquet Bomeny
Bianca Freire Medeiros
Data: 14/6/2013
Local(ais):
Rio de Janeiro ; RJ ; Brasil

Duração: 2h5min

Dados biográficos do(s) entrevistado(s)

Nome completo: Licia do Prado Valladares
Formação: Graduação em Sociologia e Política pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1967) e doutorado em Sociologia pela Universite de Toulouse I (Sciences Sociales) (1974).
Atividade: Coordenadora do urbandata/IUPERJ da Sociedade Brasileira de Instrução - SBI, pesquisadora associada do IUPERJ e professora na universidade de Lille I. Tem experiência na área de sociologia, com ênfase em sociologia urbana, atuando principalmente nos seguintes temas: favela, pobreza urbana, historia da pesquisa urbana no Brasil, Rio de Janeiro. Membro de corpo editorial da revista "Dilemas".

Equipe


Transcrição: Leticia Cristina Fonseca Destro;

Conferência da transcrição: Juliana Rodrigues de Oliveira Souza;

Técnico Gravação: Ítalo Rocha Viana;

Sumário

Entrevista: 14.06.2013


Origens familiares; a origem norte americana materna; a formação, de sua mãe, em Antropologia na Columbia University; a relação dos pais com a cidade de Nova Iorque; a vida dos pais para a Bahia, no Brasil;a escolha por Ciências Sociais; o curso de Ciências Sociais na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro em sua época; os colegas da faculdade; os autores lidos na época; a experiência no Centro Latino-Americano de Ciências Sociais (CLACS); a biblioteca do CLACS;o interesse por Estudos Urbanos; a influência de Milton Santos; o interesse pela Bahia; a influência de Jorge Amado, Mário Cravo e Carybé; o interesse por estudar favelas; o convite de Carlos Alberto Medina para trabalhar com o tema de “favelas”;a primeira experiência de campo em favela no Morro da Catacumba; a entrada em campo; o primeiro contato com a favela da Rocinha; a entrada em campo nas igrejas da Rocinha; o convite dos moradores para morar na Rocinha;a experiência de morar na Rocinha; o processo para conseguir alugar uma casa na Rocinha em sua época; os conflitos internos na Rocinha; a rotina na Rocinha;o trabalho com Milton Santos na Venezuela; o trabalho de campo em El Tigre, Venezuela; os estudos urbanos e a experiência na Venezuela; a ida para a Inglaterra;a ida para a França; a tese orientada por Raymond Ledrut; a estadia com Madame Kaiser em Toulouse; a feitura da tese no Brasil; a criação do nome do livro “passa-se uma casa”; a tese de doutoramento;a conexão internacional do antigo Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro (IUPERJ); o Urbandata-Brasil no IUPERJ; os acordos entre instituições fomentadoras de projetos internacionais; teoria versus empiria; o desconhecimento, por parte dos alunos, da História da teoria sociológica;os diferentes alunos de Ciências Sociais: os exemplos de Estados Unidos, França e Brasil; os universitários provenientes da favela; a heterogeneidade da pobreza; recepção da teoria da Escola de Chicago no Brasil; a volta da teoria sociológica da Escola de Chicago como paradigma para pensar o mundo, nas Ciências Sociais; a França como objeto de estudo; o conflito geracional;países de língua portuguesa; o domínio do inglês como língua acadêmica; a importância do texto “a imaginação sociológica”, de Wright Mills; as Ciências Sociais do Brasil no mundo;o livro “A Invenção da Favela”; as invenções acerca do tema favela; os dogmas reproduzidos a respeito de favela; o processo de pesquisa e a necessidade de questionamentos.
Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados